Para quê?


rocks_on_balance_0Durante a conferência anual do Mind & Life Institute no ano de 2000, um evento organizado anualmente como um diálogo entre o Dalai Lama e cientistas ocidentais, o Dalai Lama sugeriu a criação de um programa secular que pudesse ser desenvolvido para lidar com emoções destrutivas, não apenas de um ponto de vista teórico, mas também de forma prática na sociedade. Na resposta a este desafio, o especialista em emoções Paul Ekman, PhD e o estudioso contemplativo B. Alan Wallace, PhD, desenvolveram um programa de 42h designado de CEB – Cultivating Emotional Balance.

O objetivo do CEB é o de ensinar competências que facilitem uma melhor gestão da nossa atenção, assim como uma maior regulação emocional, através de métodos didáticos e experienciais. O CEB é um programa validado cientificamente, inspirado por pesquisas científicas feitas na área das emoções, juntamente com práticas contemplativas que encontram a sua origem na tradição Budista. Ao longo do programa, os participantes aprendem a identificar a fisiologia e expressão facial das suas emoções, desenvolver competências emocionais e mindfulness, assim como a cultivar aspirações profundas para a felicidade genuína. Um dos objetivos principais do CEB é o de permitir que os participantes ganhem maior flexibilidade e escolha no seu processamento emocional e cognitivo.

Como?


Equilíbrio Intencional

Este equilíbrio tem que ver com o desenvolvimento da capacidade de discernir quais as intenções que desenvolvemos, com o objetivo de podermos alinhar estas intenções com o cultivo de um bem-estar genuíno para nós mesmos, e para os que nos rodeiam. O programa suscita reflexões como será que estamos a usar o nosso tempo nas atividades que realmente nos movem na direção do bem-estar que procuramos? Será que possuímos clareza sobre o que é que, no longo prazo, nos trará a felicidade genuína que todos nós procuramos?

Equilíbrio Atencional

Este equilíbrio explora o tema da nossa atenção, levando-nos num questionar sobre qual a capacidade que temos para gerir a nossa atenção de forma eficaz. Nas palavras do pai da psicologia americana, William James, “Neste momento, aquilo a que presto atenção é a minha realidade.” Mas será que somos genuinamente capazes de determinar para onde vai a nossa atenção? E como é que a forma como prestamos atenção afeta a forma como nos movimentamos no mundo?

Equilíbrio Cognitivo

Com o equilíbrio cognitivo, tentamos desenvolver a capacidade de percecionar a realidade da forma o mais objetiva possível, sem acrescentarmos nem retirarmos nenhum elemento à nossa experiência da realidade. Será que somos sempre capazes de o fazer? De percecionar pessoas, situações ou a nossa própria experiência interna de forma clara, ou será que vivemos vendo apenas as nossas próprias versões da realidade?

Equilíbrio Emocional

De forma muito visível, o nosso bem-estar é diretamente afetado pela qualidade das emoções que experienciamos no nosso dia-a-dia. Mas como poderemos ganhar a destreza interior que nos permite não só experienciar as nossas emoções sem necessariamente nos identificarmos com elas, mas também cultivarmos estados emocionais que sejam mais alinhados com o desenvolvimento de uma aspiração pelo bem-estar genuíno?


Obtenha mais informação a partir do site do programa Cultivating Emotional Balance.

+ Programas
Anúncios